Devido ao crescimento na demanda por profissionais bem preparados, a busca por cursos complementares de aprendizado técnico e profissional  tornou-se indispensável. Embora essa exigência seja relativamente nova na área da saúde, é uma regra antiga em outros ramos profissionais.

Assim, o ensino profissional  se tornou um grande negócio em todo o mundo. Seja em nível técnico ou superior, a formação complementar através de cursos de extensão, qualificação ou especialização, infelizmente, se prestam também à exploração aviltante por indivíduos pouco ou nada preparados e por aventureiros.

Como este tipo de curso em saúde não é regulamentado por órgão oficial no Brasil, não adianta ficar esperando por indicativos deste tipo. Contudo, há muitas características e informações disponíveis que permitem analisar a seriedade, a competência e o compromisso de um curso e de uma empresa de educação, para evitar cair em armadilhas.

É FÁCIL ESCOLHER O MELHOR CURSO EM APENAS 5 PASSOS:

 

  • Escolha uma escola reconhecida

 

Procure verificar sua longevidade; centros tradicionais e reconhecidos pela sociedade tendem a sobreviver mais tempo devido a sua credibilidade. Possuir uma área física própria permite que as atividades sejam realizadas em local especialmente destinado a isso. É muito comum vermos a realização de aulas práticas em hotéis ou outras áreas externas à Instituição responsável. Geralmente, isso implica em sérias limitações ao processo de ensino-aprendizado.

Também é importante estar atento aos responsáveis pela escola, sua formação, suas atividades profissionais e acadêmicas. É importante ter certeza de que se tratam de profissionais da área correlata e possuem experiência de campo, e não apenas teórica. Algumas empresas, pela excelência de sua diretoria e professores, acabam se tornando uma referência regional ou nacional, o que costuma ser um indicador muito confiável da qualidade do ensino. Até mesmo os clientes e parceiros dizem muito sobre a escola; empresas sérias geralmente buscam os serviços de parceiros igualmente confiáveis.

Não é incomum que profissionais de outras áreas adotem o ensino em saúde como alternativa profissional, ainda que não tenham a qualificação e a experiência profissional necessárias. Neste sentido, certos títulos acadêmicos podem dar a falsa imagem de saber, caso não estejam relacionados a área específica do treinamento. Locais que se dedicam a um segmento mais especializado do conhecimento tendem a reter pessoal, tecnologia e informação mais avançados dentro da área de atuação.

 

  • Escolha os professores mais qualificados

 

Um corpo docente qualificado talvez seja o fator decisivo para a escolha da escola. Uma escola que seleciona seus professores de acordo com a formação, capacidade técnica e vocação é uma escola que investe na qualidade do ensino. Professores com títulos acadêmicos (mestrado e doutorado) e atividades universitárias nas áreas afins costumam ser um bom indicativo. Entretanto, deve haver uma massa crítica de professores com essa formação e não apenas um ou dois indivíduos.

De qualquer forma, a experiência profissional em serviços de reconhecido saber é indispensável, pois evita a transmissão puramente teórica do ofício. Além disso, professores com essa qualificação costumam evitar escolas despreparadas ou mercantilizadas.

Existe um único porém: devido ao custo destes profissionais, o valor dos melhores treinamentos costuma ser um pouco mais alto do que opções menos qualificadas. Mas esse investimento extra costuma valer a pena. Afinal, de nada adianta pagar menos e não obter a qualificação desejada na área de sua escolha, não é mesmo?

 

  • Verifique as bases do curso

 

Não basta a instituição e os professores serem credenciados se o programa do curso não for de alta qualidade. Verifique sempre se as atividades desenvolvidas estão amparadas por modernos recursos didáticos e técnicos, pois a condição material de aprendizado é indispensável para um bom treinamento.

 

  • Veja como a empresa fala de si mesma

 

Uma divulgação sensacionalista pode ser o primeiro ponto a ser considerado. De uma forma geral, o ensino é um negócio sério e as empresas que tem compromisso com esse mercado costumam apresentar uma divulgação compatível com esse padrão – em particular na área da saúde. Isso costuma acontecer porque os centros mais relevantes têm muito a oferecer, portanto não precisam recorrer a expedientes fantasiosos ou mercantis a fim de assegurar sua imagem.

É preciso tomar cuidado com empresas que prometem uma qualificação extraordinária mas não possui reconhecimento, professores altamente especializados ou outras formas de comprovar a excelência de seus cursos. Esse tipo de armadilha é muito comum e é importante estar atento – principalmente se o preço do curso for muito baixo.

Uma rápida pesquisa na web pode revelar se a escola entrega o resultado prometido. Basta procurar a opinião de ex-alunos. No caso de empresas sérias, deve ser fácil encontrá-las. Verifique se eles fizeram mais de um curso e se eles enxergam a escola da mesma que ela se vende. No caso de críticas, é muito importante saber como se comportou a empresa ao respondê-las.

 

  • Verifique se o valor do curso é compatível com o que está sendo oferecido

 

Nos dias de hoje, o desejo de economizar é quase uma obrigação, mas manter um produto de qualidade pode custar mais. Um bom curso de qualificação pode transformar a sua vida, por isso invista nas melhores escolas. O local onde foi feita sua formação tem um peso enorme na hora de conquistar boas oportunidades de emprego, pois é uma garantia para o empregador.

Para não cair em armadilhas, desconfie de promoções desmedidas e de preços que parecem bons demais para ser verdade – geralmente é isso mesmo que eles são. O custo baixo pode ser atrativo, mas existe muito mais por trás dele. Para oferecer o menor preço, algumas instituições acabam sacrificando a qualidade dos cursos.

Manter um curso qualificado tem custo mais elevado. Professores bem preparados, materiais adequados, investimento na formação de  funcionários, local próprio às atividades práticas – cada um destes itens contribui para um padrão de excelência nos cursos e implicam custo para a escola. Por isso, muitas vezes as boas escolas não conseguem reduzir seu preço – mas não é raro que aceitem formas de facilitar o pagamento, uma vez que têm por base o compromisso e o respeito pelo cliente.

Comentários

comentários